PROCESSOS DE INSPEÇÃO VISUAL

Não é só remover a válvula e dar uma espiada dentro do cilindro ...

Como proprietários de cilindros, devemos realizar uma inspeção visual a cada 12 meses. Pode ser algo em que raramente nos atentamos, mas é uma importante prática para aumentar a segurança do mergulho.

Vamos detalhar os processos de inspeção visual, falar sobre os três tipos de certificação de inspeção e como não estar ciente da diferença entre eles pode afetar a segurança do mergulho.


Qual Legislação devemos seguir?

No Brasil, temos a ABNT que dita as regras para testes em cilindros. Infelizmente, não temos fabricantes de cilindros de aço ou alumínio dedicados ao mergulho no Brasil. Normalmente, importamos os cilindros de alumínio dos EUA e os de aço da Europa.

Acredito que nada mais confiável para ditar as “regras” de manutenção do que o fabricante.

Devemos observar os manuais de manutenção dos fabricantes e a legislação local.

Nos meus cursos, sempre falo: “Vamos atender a que mais seja conservadora”, por exemplo: no caso de inspeção visual, na ABNT, só é prevista a cada 5 anos junto com o Teste Hidrostático, mas o fabricante recomenda a Inspeção Visual a cada 12 meses. Então por que não atender o fabricante, que neste caso, mesmo não sendo obrigatório pela ABNT, estamos sendo conservadores, fazendo o que o fabricante, que é o responsável sobre seus produtos, preconiza. Pense nisso!


O processo de inspeção

O técnico inicia a inspeção na parte externa do cilindro, antes mesmo que a válvula seja removida, examinando as marcas regulatórias: qual a data de fabricação do cilindro? Isso é importante para cilindros de alumínio de uma certa idade; Qual é a norma de fabricação? DOT ou TC? Qual é a pressão de trabalho? O cilindro tem uma data de teste hidrostática atual estampada na ogiva? Todas essas são perguntas importantes que o técnico deve responder antes que a inspeção real comece.

Com essas perguntas respondidas, a inspeção realmente começa. Ainda fora do cilindro, o técnico procurará sinais óbvios de ferrugem, corrosão (especialmente sob a bota do cilindro e rede, se existir) e danos causados ​​por quedas ou queimaduras. Em seguida, o técnico, com uma régua, deve verificar se há “depressões” no cilindro: com o tempo, os cilindros de alumínio podem assumir uma forma muito leve de “banana”. Acredite ou não, é permitida uma pequena quantidade de “bananas”. “Banana” é o nome que damos ao ligeiro “empenamento” do cilindro.


Entrando no cilindro

Em seguida, o técnico removerá a válvula e é aqui que a verdadeira diversão começa! Muitas vezes, a primeira coisa que se faz é um teste de cheirar - sim, sentimos o cheiro do interior do seu cilindro. O técnico pode sentir odores que podem significar que o cilindro tenha sido invadido por água do mar, cheiro de hidrocarbonetos ou um odor de queimado, o que pode indicar uma recarga anterior de um compressor com anéis de pistão com falha ou um filtro com defeito. São coisas que você, proprietário do cilindro, precisa saber. O inspetor também verificará a válvula do cilindro para determinar se precisa de manutenção ou limpeza.


Depois que o cilindro passar no teste de detecção, o técnico passa para uma inspeção detalhada das roscas no gargalo do cilindro. O técnico usará um pequeno dispositivo de periscópio iluminado, como um Optical Plus, para ampliar e examinar atentamente cada segmento. As linhas defeituosas, ou mais especificamente, rachaduras no gargalo do cilindro entre as linhas, são responsáveis ​​pela maioria das falhas de inspeção visual. As rachaduras no pescoço podem ser causadas por pequenas irregularidades congênitas que podem não aparecer por vários anos, ou, alguns técnicos argumentam mais comumente, por excesso de enchimento crônico (encher com mais pressão que a pressão de trabalho) que leva a trincas de carga sustentadas ou SLC. As consecutivas recargas com 3500 psi em sua loja de mergulho local (em um cilindro de alumínio) podem proporcionar um pouco mais de tempo de mergulho, mas eles, na verdade, não estão fazendo nenhum favor aos seus cilindros!


Verificando ferrugem

Se as roscas estiverem bem ajustadas, o técnico examinará mais de perto o interior do cilindro, com uma haste de luz de LED longa e flexível. O técnico está procurando principalmente óxido de ferro em cilindros de aço e óxido de alumínio em cilindros de alumínio. Óxido de ferro é, obviamente, mais comumente conhecido como ferrugem. O óxido de alumínio é simplesmente o tipo de “ferrugem” que se forma no alumínio e tem uma aparência branca e um tanto gredosa. Uma quantidade excessiva desses itens pode significar que seu cilindro precisa de um “turbilhamento”, onde o cilindro é parcialmente preenchido com material abrasivo que remova a ferrugem ou o óxido de alumínio, em uma máquina que fica “rodando” o cilindro. Como alternativa, o técnico pode chicotear o cilindro. Um chicote é uma haste de alumínio comprida com filamentos de cabo abrasivo semelhantes a escova usada para lavar “mamadeira de criança”. A haste é presa a uma “furadeira/parafusadeira”, movida para cima e para baixo dentro do cilindro para remover os óxidos leves.


Uma observação sobre os tipos de alumínio

Os cilindros de alumínio fabricados antes de 1989 foram produzidos a partir de uma liga de alumínio conhecida como alumínio 6351. Após 1988, a indústria mudou para uma liga de alumínio diferente, chamada 6061. A liga 6351 apresentou alguns problemas de SLC após anos de uso, tanto que estimulou a indústria de cilindros de mergulho a mudar para a nova liga 6061. Muitas lojas dirão que eles não podem encher cilindros de alumínio 6351 mais antigos, mas essa não é a verdade completa do problema. Mesmo se não houver rachaduras visíveis nas roscas do cilindro, que são facilmente vistas com a ferramenta Optical Plus, podem ocorrer rachaduras na linha do pescoço, logo abaixo da superfície. Uma máquina com corrente parasita, é aparafusada no cilindro e envia corrente elétrica através das roscas e assim pode detectar rachaduras que estão sob a superfície e invisíveis aos olhos, mesmo com o auxílio de ampliação. A máquina de corrente conhecida como “Visual Plus ou Visual Edge” é a ferramenta mais usada. Os cilindros de liga 6351 devem ter um teste de corrente de Foucault em cada inspeção, e algumas oficinas até realizam esse teste em todas as inspeções visuais. Você nunca pode ser negligente quando se trata de cilindros de mergulho e sua segurança.

Na Scuba Repair TODOS os cilindros passam por este teste.




E após a Inspeção Visual?

Se você é um mergulhador só de ar, parabéns! Seu cilindro, depois de passar pela inspeção visual, está cheio de ar e pronto para mergulhar. Mas se você é um mergulhador Nitrox, seu cilindro necessita passar por outro nível de exame, dependendo da loja de mergulho que está realizando a inspeção. Este é o ponto em que as coisas ficam um pouco mais complicadas e, se você é um mergulhador Nitrox ou está pensando em se tornar certificado em nitrox, deve prestar muita atenção. Existem várias maneiras de "criar" o Enriched Air Nitrox. Os dois mais comuns são nitrox pelo método “Misturador” e pelo método “Pressão Parcial”. Também existe o método por “Membrana”, mas pelo seu custo, poucos Dive Centers têm. Discutiremos a diferença entre elas e suas implicações .


Produzindo Nitrox pelo Método - Misturador

Esta forma de nitrox é muito usada quando tem-se uma grande demanda de Nitrox até 40% de oxigênio. Nesse tipo de recarga podemos utilizar o cilindro de Oxigênio até seu fim, sendo uma vantagem. Nesse processo, tem-se uma câmara onde injeta-se Oxigênio puro e ar ambiente. Na saída tem-se um analisador de oxigênio que afere a concentração de oxigênio contida na mistura. Querendo-a mais rica, injeta-se mais oxigênio, querendo-a mais pobre, injeta-se menos oxigênio. Toda essa mistura é puxada pelo compressor e comprimida nos cilindros. Pelo motivo de usar-se uma mistura rica em oxigênio, tem-se que limitar em 40% para não causar uma “explosão” no compressor. Mas fiquem tranquilos! A maioria dos fabricantes diz que é seguro passar até 40% de oxigênio em seus compressores. Mas isto cria uma vantagem em relação aos cilindros. Não há necessidade do cilindro ser “limpo” para uso com oxigênio, por não receber concentrações superiores a 40%. Essa é uma maneira fácil de uma loja de mergulho vender nitrox. Nenhum equipamento especial é necessário



Produzindo Nitrox pelo Método - Pressão Parcial

Esse método é mais complicado, requer mais equipamentos e requer um nível mais alto de inspeção visual que mencionamos anteriormente. Nesse processo, o cliente pode solicitar qualquer porcentagem de EAN que desejar. Você quer EAN 35.7? Sem problemas! Na mistura parcial de pressão, seu cilindro vazio é preenchido primeiro com uma certa quantidade de 100% de oxigênio e depois é coberto com ar compatível com oxigênio, OCA, para criar ou misturar uma porcentagem EAN específica. Por exemplo, em um cilindro de 3000psi,o EAN 32 é criado preenchendo-se um cilindro vazio com 418psi de oxigênio puro e depois cobrindo com OCA até completar 3000psi. A mistura de pressão parcial oferece a uma loja de mergulho a flexibilidade de misturar EAN a qualquer porcentagem que o cliente desejar. Lojas que ensinam mergulho técnico e oferecem preenchimentos técnicos quase invariavelmente usam esse método.


Aqui alguns problemas podem surgir: para esse método de mistura por pressão parcial, o cilindro deve primeiro estar limpo para O2. Isso significa que quaisquer materiais potencialmente inflamáveis ​​devem ser removidos do cilindro e da válvula. Muitos cilindros usam O-rings de borracha (nitrílica) e graxa de silicone, ambos inflamáveis. Misturar 100% de oxigênio com alta pressão, temperatura elevada (do processo de enchimento-compressão diabática) e materiais inflamáveis ​​é uma receita para o desastre. Digite no Google "explosões em lojas de equipamentos de mergulho", você entenderá o que quero dizer. Para verificar se há materiais inflamáveis ​​no cilindro, o técnico lançará mão de uma luz UV no interior do cilindro. Qualquer material orgânico ou inflamável brilhará em verde brilhante, indicando a necessidade de limpeza com oxigênio. Neste caso, leve o cilindro e torneira para um técnico especialista em limpeza para oxigênio. Não brinque com o oxigênio.


Adesivos de inspeção visual não são todos iguais.

Trabalho na indústria de mergulho há quase 23 anos e já vi isso acontecer muitas vezes. Eu trabalho na loja de equipamentos de mergulho A e somos uma loja onde usamos o método de enchimento por pressão parcial para produzir nosso nitrox. Um cliente entra para um preenchimento de nitrox. Ele é um cliente regular do Dive Shop B, que vende nitrox pelo método misturador e realizou a inspeção visual mais recente no cilindro deste cliente. Não consigo encher o cilindro deste cliente com nitrox. Por quê? Como a inspeção visual foi realizada por uma oficina que certifica apenas cilindros com 40% de EAN pré-misturado, e eu uso 100% de O2 para misturar meu nitrox, esse cilindro provavelmente possui anéis de borracha e graxa de silicone na válvula. A menos que eu queira arriscar explodir minha loja, não posso encher o cilindro dele, a menos que ele queira que o cilindro seja inspecionado visualmente e limpo para O2, o que significa mais tempo e dinheiro para o cliente. E tudo o que ele queria era um cilindro cheio. Pode ser frustrante para o cliente. Por isso é importante reconhecer a diferença entre os adesivos, exigir e guardar os laudos de inspeção e limpeza do cilindro para a loja que irá encher o cilindro ter certeza da limpeza ou não do mesmo em relação ao uso com oxigênio.


Existem três tipos de níveis de certificação de inspeção visual de cilindro:


Apenas Serviço para AR

Limpeza para uso até EAN até 40%

Limpo para Serviço de Oxigênio – Acima de 40%



O Serviço para uso somente a Ar, é bastante autoexplicativo. Mas lembre-se que temos que ter uma qualidade de Ar Respirável, normalmente CGA grau E. Peça o laudo de pureza ou notas ficais que garantem a troca do filtro de ar. Lembre-se, você respirará este ar. Se ele estiver contaminado com monóxido de carbono, você pode ter uma leve dor de cabeça ou até “apagar” embaixo da água!


EAN até 40% significa que você pode obter preenchimentos de ar e nitrox pelo método de misturador 40%. Neste caso, o nível de pureza de ar que vamos usar para a mistura com o oxigênio, deverá ser superior ao CGA grau E. Normalmente se usa o grau OCA (Ar Compatível com Oxigênio).


Limpo para serviço de oxigênio significa que você pode obter até 100% de O2, com a certificação Tech Diving apropriada, nitrox pré-misturado até 40% e ar. Mas adivinhem? Aqui está outra questão: se você receber ar no seu cilindro de oxigênio limpo, o ar deve ser OCA ou ar compatível com oxigênio. Esse ar é altamente filtrado, normalmente com um banco extra de filtros hiper limpos no sistema de compressor da loja. Se você encher um cilindro de oxigênio limpo com OCA, esse definitivamente não é o fim do mundo, você apenas corre o risco de ter que esvaziar o ar e encher com oxigênio o cilindro novamente. Definitivamente, o OCA não está universalmente disponível, ou acreditem...muitos Dive Center nem sabem o que é Ar OCA!


E se nosso Dive Center estiver fechado?

Como mergulhadores, muitos de nós somos criaturas que criam hábitos. Temos a nossa loja de mergulho local favorita (ou talvez apenas) que enche nossos cilindros. E quando você mergulha e viaja com seus cilindros, ou se a sua loja de mergulho local está fechada e você precisa de um abastecimento de última hora, problemas com o nível errado de certificação visual podem surgir. Se você precisar obter um preenchimento de nitrox em uma loja que não seja a que inspecionou seu cilindro, verifique se o seu nível de inspeção visual funcionará com a loja de equipamentos de mergulho que irá encher seus cilindros quando você estiver fazendo aquele mergulho de fim de semana - viagem para o mar ou lagos/pedreiras. Um pouco de pré-planejamento pode diminuir a dor de cabeça e diminuir as despesas em sua viagem de mergulho. E sempre leve seus laudos de inspeção, principalmente o que diz que o cilindro está limpo para receber oxigênio puro, para evitar dor de cabeça ou despesas extras.

Safe Dive

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
NOSSOS SERVIÇOS

Manutenção

- Revisão Corretiva e Preventiva em Equipamentos de Mergulho

- Manutenção em Roupas de Exposição

- Manuteção em Rebreather

- Manutenção em Computadores de Mergulho

- Teste Hidrostático em Cilindros

- Inspeção Visual em Cilindros

Cursos

- Cursos de Manutenção e Serviços em Equipamentos de Mergulhos

- Cursos de Mergulhos Recreativos

- Cursos de Mergulhos Técnicos

- Cursos de Mergulhos em Cavernas

ENCONTRE-NOS

Avenida Mutinga, 936 - Sala 3

São Paulo/SP

CEP: 05110-000

Tel - (11) 96188-4001

 

Estamos sempre prontos a atendê-lo com profissionalismo e dedicação!

VOLTE SEMPRE

© 2016 Scuba Repair - A sua oficina do mergulho by Vagner Marretti